Sexualidade Natural

Não se trata exatamente de um conceito novo, haja visto que muitos casais que encaram a sexualidade com total naturalidade já praticam isso, mas muito mais uma idéia de como a sexualidade deveria ser tratada.

No mundo da sociedade moderna, no que se considera dos casais que se casam e passam a dividir uma vida a dois juntos, o sexo, com o tempo e com as pressões da rotina do dia a dia, vai se tornando um “evento com hora marcada”.  Aquilo que costumava acontecer de forma espontânea durante o namoro, nos momentos que o casal conseguia ficar juntos e ter um momento de privacidade à sós, depois que passam a morar juntos isso passa a se tornar um evento raro.

Isso sempre foi algo muito estranho, pois na fase do namoro muitos imaginam que após o casamento a coisa vá se tornar algo freqüente e natural.  Mas na prática a realidade se mostra totalmente diferente, pois aí começam as atividades consideradas “brochantes”, como as responsabilidades para se manter a casa, como trabalhar para pagar as contas de consumo, as compras de alimentos, material de limpeza e outras coisas necessárias para se manter a casa limpa, lavar as roupas, lavar a louça, consertar o chuveiro, reparar o vazamento, etc., etc., etc.

Para aqueles que ainda não passaram pela experiência de se casar… Acreditem, não é um “Mar de Rosas”!

E quando os filhos nascem então…

A coisa só vai piorando!  Mas existem casais que não estão interessados em se casar, ou mesmo experimentar um casamento, e resolvem apenas ter uma experiência juntos de convivência.  Com o tempo é óbvio que a coisa toda tende a se tornar um “casamento” também, pois as responsabilidades não deixam de estarem presentes!  Mas os casais que resolvem apenas experimentar uma vida juntos costumam levar uma vida mais relaxada, e dessa forma conseguem deixar de lado certas responsabilidades para poderem curtir um pouco mais a vida.

Sexualidade deveria ser algo totalmente espontâneo, não algo com data e hora marcados.  Expressar Amor através da relação sexual deveria ser algo tão espontâneo quanto trocar beijos, se abraçar ou mesmo se acariciar.

Quando passamos a levar a vida de forma mais espontânea e alegre, passamos a ter uma outra visão da coisa.  Se temos um ambiente íntimo de convivência, por que não andar nus durante o dia ao redor da nossa casa?  Cortinas existem para manter olhares externos ausentes.  Se está frio lá fora, basta fechar as janelas e ligar o aquecimento, se o frio for muito intenso.  Além do mais, nossos corpos irão nos agradecer por poder contar com o tempo extra sem roupa nenhuma.  Isso ajuda o corpo a respirar, se recarregar e se manter perfeitamente saudável.  Os genitais também precisam de “Ar Fresco”!

Nossos corpos são capazes de se defender de muitos agentes externos, como ácaros, germes, bactérias ou qualquer outro ser que possa ser considerado uma ameaça para a nossa saúde.  Portanto tratem de relaxar e curtir seus corpos!  Além do mais, é sempre mais gostoso trocar um abraço onde toda a extensão da nossa pele esteja em contato com a pele do outro.  Atividades como ficarem agarrados assistindo a um filme, ou mesmo dançarem nus ao som de uma música (principalmente se for agarradinho!), ou mesmo durante o preparo das refeições na cozinha!  Tudo pode ficar muito mais divertido, se forem verdadeiramente capazes de dividir sua intimidade.

E no meio tempo, quem sabe um sexo oral na sala, uma gostosa sentada na cadeira da mesa da copa, ou mesmo em cima da própria mesa, um gostoso beijo por trás enquanto a patroa prepara o café.

Se vivêssemos em uma sociedade perfeita, centrada no Amor Incondicional, na total aceitação das diferenças e ausente de medos ou preconceitos, a Sexualidade Humana seria uma continuação das brincadeiras de criança, quando se tinha a inocência de andar nus, totalmente despreocupados, tendo total prazer de estar ausentes das máscaras que constituem as roupas, num clima de total liberdade e sinceridade.

Sexo deveria ser uma brincadeira inocente de criança, praticada por adultos.  Devemos resgatar a inocência infantil na expressão de nossa sexualidade, como no momento em que um menino e uma menina se mostram nus, um diante do outro, e começam a explorar as diferenças de seus corpos.  Como um menino que começa a tocar seu genital de forma carinhosa, que lhe proporciona conforto, prazer, e de repente ele percebe que esse carinho, essa energia suave que ele deposita em seu genital começa a torná-lo ereto, e ele passa a explorar essa ereção, começa a brincar com essa ereção.  E ele passa a gostar de sentir seu genital nesse estado, e sente vontade de compartilhar isso com alguém.

O mesmo se pode considerar da menina que começa a acariciar seu genital, e começa a perceber que ela vai se tornando mais úmida, e ela vai curtindo essa sensação.  E sente que sua vagina começa a se dilatar, ou então a se contrair, e ela começa a gostar dessas variações.  E ela vai explorando isso de diferentes formas, explorar também tocar seu peito, seus mamilos, e então ela começa a sentir sensações diferentes.

Até que ambos, menino e menina, resolvem se tocar, um ao outro.  E começam a perceber que tudo começa a ficar mais intenso, ainda mais gostoso.

É disso que se trata aquilo que chamo de “Sexualidade Natural”.  Um resgate de nossa inocência de criança, tendo sempre em mente o prazer e a diversão de tocar nossos corpos de formas variadas e se divertir com nossos fluídos corporais, se lambuzando com eles.  Muitos filmes pornográficos nos dão sugestões de como brincar com o sexo, em lugares diferentes, circunstâncias diferentes, posições diferentes.  Só é preciso ficar bem claro que Sexo, na vida real, não precisa seguir um “roteiro” típico de filmes pornográficos!  lembrem-se que os filmes pornográficos precisam mostrar, dentro do tempo de 30 minutos a uma hora, uma enorme variação de situações e posições que podem ser interessantes de ser experimentadas ou não, mas não há a necessidade de fazer todas essas posições de uma só vez.  Filmes pornográficos servem para nos inspirar, mas não para serem imitados fielmente!  É tudo feito de forma muito caricata.

Experimentem só trocar masturbação durante o banho no chuveiro, ou mesmo naquela deliciosa banheira de hidromassagem.  Depois mais tarde, quem sabe, um sexo oral no maridão, enquanto ele checa seus e-mails no computador do escritório.  Em seguida, pode rolar colocar a patroa em cima da mesa de jantar, se essa for preparada para suportar o peso e a vibração do momento, e servir-se de um delicioso sexo oral no genital dela como “Prato Principal”.  E se o casal for mais ousado, que tal tentar aquela penetração gostosa na rede que fica pendurada na varanda, correndo o gostoso risco de serem observados pelos vizinhos?!  Um pouquinho de exibicionismo pode apimentar ainda mais a coisa.

Invente sua brincadeira!  Tudo é permitido no jogo do Amor.  Mas claro, sempre procurando respeitar os limites de cada um, sem que ninguém se sinta mal com o que está sendo feito.

Vale lembrar que isso vale para casais heterossexuais e homossexuais.  Muitos casais homossexuais femininos demonstram esse tipo de relacionamento sexual espontâneo, inclusive na hora de dormir.  Pode ser muito interessante dormir totalmente nus, com apenas um bom edredom cobrindo seus corpos para mantê-los aquecidos, permitindo que o casal se abrace ou se toque durante o sono.  E quem sabe não dá uma vontade de fazer uma brincadeirinha no meio da noite?  Tudo é possível, e eu te garanto que não será uma noite “Mal Dormida”!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s